01/11/18

Diretoria da FNP propõe interlocução com novo governo

Luiz Granzotto/PMC Em São Paulo, prefeitos fazem avaliação das eleições de 2018 Em São Paulo, prefeitos fazem avaliação das eleições de 2018

Prefeitos, de médias e grandes cidades, estiveram em São Paulo para detalhar pauta a ser apresentada a Jair Bolsonaro

Ações coordenadas para a retomada do desenvolvimento econômico e para as reformas tributária e previdenciária é o que espera, do novo governo, a diretoria da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). As pautas, que os prefeitos irão tratar com o próximo presidente da República, foram elencadas nesta quarta-feira, 31, pela diretoria da entidade, no gabinete do prefeito Bruno Covas, em São Paulo/SP. A expectativa dos prefeitos é receber Jair Bolsonaro ou o futuro ministro Onyx Lorenzoni para detalhar a agenda, no dia 27 de novembro, durante a 74ª Reunião Geral da entidade.

“O crescimento da economia do Brasil é fundamental, porque a face mais triste do desemprego nós sentimos bater na porta das cidades”, disse o presidente da FNP, Jonas Donizette, prefeito de Campinas/SP. Segundo o governante, é o momento em que as pessoas dependem mais do poder público e, para ele, “sem crescimento econômico não existe maneira de as prefeituras se recuperarem”.

Anfitrião do encontro, Bruno Covas, que é vice-presidente de Relações Institucionais da FNP, afirmou que as contas da exclusão social e da crise econômica, quem paga são os municípios. “Vemos isso nas nossas escolas, nos nossos postos de saúde, nas nossas redes de assistência social”, falou.

No que diz respeito às reformas, Jonas Donizette afirmou que a expectativa dos prefeitos é que a da previdência seja atrelada a todos os entes federativos e que a tributária possa valorizar o desenvolvimento a partir das cidades. “Em seu discurso, o presidente eleito tem dito ‘Mais Brasil, menos Brasília’. Queremos explicar pra ele, em nossa linguagem de prefeito, o que isso significa”, disse. “Nós somos o Brasil”, completou o prefeito de Curitiba/PR, Rafael Greca, vice-presidente de Cidades Inteligentes da FNP.

Donizette comentou, ainda, que a diretoria da FNP também buscará entendimento com o governo de Jair Bolsonaro na área da saúde, por exemplo. “O prefeito Beto Preto, que é vice-presidente de Saúde Pública da FNP, disse uma coisa importante: temos que ter previsibilidade no repasse dos recursos. Estamos muito preocupados de não ter uma continuidade e isso seria um desastre para as prefeituras”. Conforme o presidente da FNP, além da saúde, mobilidade urbana, segurança, meio ambiente e educação são assuntos que deverão ser discutidos com a equipe técnica de Bolsonaro.

Também participaram da reunião a prefeita de Palmas/TO, Cinthia Ribeiro, 2ª vice-presidente Nacional; e os prefeitos de Niterói/RJ, Rodrigo Neves, vice-presidente de Parcerias Estratégicas; de São Caetano do Sul/SP, Auricchio, vice-presidente de ODS; de Apucarana/PR, Beto Preto, vice-presidente de Saúde Pública; de Pará de Minas/MG, Elias Diniz, vice-presidente de Educação; e de Jaguaruúna/SP, Gustavo Reis, vice-presidente de Juventude.

Possíveis mudanças no governo
Declarações de Bolsonaro de que irá extinguir ou diminuir ministérios é motivo de preocupação dos prefeitos, especialmente se atingir o Ministério das Cidades. Já que é nesta pasta que se encontram os principais projetos em andamento, como moradia, saneamento básico, drenagem e mobilidade urbana. “A extinção do ministério nos preocupa, mas queremos entender melhor isso, porque ainda não foi dito o que virá no lugar”, ponderou Donizette.

Segundo o prefeito Bruno Covas, a preocupação da Frente é como projetos que já existem serão mantidos e como será feita a interlocução. “O que a gente gostaria de saber é de que forma vamos dialogar para continuar a ter uma ação conjunta dos municípios com o governo federal”, disse. “O importante é que a política de apoio às cidades, onde vive a maioria do povo brasileiro, não se extinga”, completou Greca.

Os prefeitos não irão se negar a discutir um possível novo desenho de governo. “É importante esperarmos, ver como vai ficar essa nova configuração do governo e dizer: as prefeituras querem ajudar”, afirmou o presidente da FNP. Este posicionamento da entidade municipalista, que congrega 400 municípios com mais de 80 mil habitantes, entre eles todas as capitais do Brasil, foi documentado em uma nota divulgada à imprensa.

O documento também aborda a ânsia dos governantes em honrarem compromissos internacionais firmados pelo Brasil, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU, e as metas estabelecidas pelo Acordo de Paris. Confira na íntegra aqui.

74ª Reunião Geral da FNP
De 25 a 28 de novembro, São Caetano do Sul/SP sediará o segundo encontro de prefeitos promovido pela FNP neste ano. Com um cenário eleitoral já definido, a expectativa é que prefeitos recebam Jair Bolsonaro, no dia 27 (terça-feira). O objetivo da diretoria da FNP é garantir que ele já comece seu mandato, em 2019, comprometido com as demandas municipais. As inscrições já estão abertas.

Com um desenho semelhante às edições anteriores, a programação da 74ª Reunião Geral é voltada para prefeitos, mas também oferece atividades para secretários e gestores municipais. Saiba mais.

Reunião preparatória
Na terça-feira, 30, a equipe técnica dos prefeitos também esteve em São Paulo para contribuir na construção da agenda estruturante de interlocução com o próximo governo. O ponto de partida foi a Carta entregue a todos os presidenciáveis na 73ª Reunião Geral da FNP. Somado ao conteúdo do documento, o grupo de gestores também analisou temas como a situação econômica e fiscal, financiamento do transporte público, reforma previdenciária e relações federativas, dentre outras pautas.

Redator: Livia PalmieriEditor: Paula Aguiar
Última modificação em Quinta, 01 de Novembro de 2018, 13:32
Mais nesta categoria: