08/08/16

Projeto traz dignidade aos camelôs e garante requalificação do Centro Histórico de Manaus

Divulgação Projeto traz dignidade aos camelôs e garante requalificação do Centro Histórico de Manaus

A prefeitura de Manaus/AM avançou, nos últimos meses, para a requalificação do Centro Histórico de Manaus, resolvendo velhos entraves, especialmente a situação dos camelôs que ocupavam as ruas e calçadas do Centro, há mais de 30 anos. Em junho, quando for inaugurado o maior centro de compra popular da região Norte, o Shopping T4, instalado na zona Leste de Manaus, a história de mais de dois mil desses camelôs estará caminhando para o desfecho.

A solução veio por meio do projeto “Viva Centro Galerias Populares”, que fez a retirada negociada dos camelôs das ruas e a transferência para camelódromos provisórios e, posteriormente, para duas Galerias Populares – Remédios e Espírito Santo - construídas pela atual gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto, aproveitando o espaço de antigos prédios que estavam sem destinação, no Centro Histórico.

Durante todo o processo de retirada, acomodações provisórias e transferência para os espaços definitivos de trabalho, os ex-camelôs receberam ajuda financeira, com uma bolsa mensal de R$ 1 mil, além de cesta básica de alimentação e apoio para se transformarem em microempreendedores populares, entrando para a economia formal.

Já foram alocados, de forma definitiva, 1.350 ex-camelôs e 731 aguardam a conclusão das obras do Shopping T4 para também se instalarem definitivamente, em suas lojas. Desses, 1.225 receberam qualificação em diversos cursos, até mesmo inglês básico, que vai prepará-los para atender melhor os turistas que virão a Manaus por ocasião dos Jogos Olímpicos.

Os Centros de Compras

A primeira Galeria Popular a ser entregue, está localizada na rua Joaquim Sarmento, esquina com 24 de Maio, a poucos metros da principal avenida da capital. O espaço abriga 317 novos empreendedores em 308 lojas e nove lanches. Custou aos cofres públicos, R$ 5.652.960,77. Além das lojas e lanches, oferece serviços do primeiro Pronto Atendimento ao Cidadão do município (PAC municipal), casa lotérica e terminal de saque 24 horas.

Inaugurada meses depois, a Galeria dos Remédios abriga 220 empreendedores e disponibiliza aos frequentadores, além de praça de alimentação para mais de 220 lugares, serviços do PAC Estadual (transferido da área portuária para a galeria), 12 guichês de vendas de passagens fluviais, espaço beleza com três cabeleireiros e três manicures e um mirante com vista para o rio Negro, onde funcionará um restaurante. O custo da obra foi de R$ 8.139.249,17.

A segunda fase da Galeria dos Remédios, local onde funcionava o camelódromo Miranda Leão, já entrou em reforma e será entregue ainda em 2016. Quando estiver concluída, a Galeria dos Remédios vai disponibilizar aproximadamente 500 lojas para os empreendedores. E a terceira etapa está prestes a ser licitada.

Com 90% da obra concluída, o Shopping T4, será entregue pela prefeitura ainda no primeiro semestre deste ano. Localizada na avenida Camapuã, uma das principais vias da zona Leste, o empreendimento terá capacidade para 750 lojas. A estrutura conta com dois pavimentos, escada rolante, elevador e, além das bancas comerciais, praça de alimentação, supermercado, pista de caminhada, caixas eletrônicos, serviços de Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC), casa lotérica e outros serviços.

Ainda no Centro, foram feitas parcerias para garantir ordenamento e segurança, foram implantados mais de 1,5 mil pontos de iluminação a Led e uma coleta de lixo pioneira, com carros adaptados percorrendo as vias para recolher lixo orgânico e reciclável, com horários de coleta definidos com os empresários.

Requalificação

A avenida Eduardo Ribeiro é um bom exemplo do que a Prefeitura de Manaus pretende fazer no Centro, considerado sítio histórico da cidade. Símbolo do glamour e glória de uma Manaus da Belle Époque, a avenida, construída em 1900 aos moldes das mais pitorescas e românticas cidades europeias, em especial, Paris, está sendo resgatada guardando os aspectos físicos, arquitetura e materiais do projeto inicial.

O projeto de revitalização abrange a avenida Eduardo Ribeiro em toda a sua extensão e os cruzamentos com a avenidas Sete de Setembro, ruas Henrique Martins, Saldanha Marinho, 24 de Maio e José Clemente, e a esquinas da rua Monsenhor Coutinho.

Outras obras de igual relevância para o Centro Histórico estão em andamento, como as praças da Matriz, Adalberto Vale, Tenreiro Aranha, todas com recursos do Pac Cidades Históricos. E outras aguardam liberação de recursos ou desembaraços burocráticos como o Pavilhão Universal, a praça Dom Pedro II, o entorno do Mercado Adolpho Lisboa, a Biblioteca Municipal, o prédio da antiga Câmara Municipal, o Hotel Cassina e o Corpo de Bombeiros.

Mais nesta categoria: